Ser Minas Tão Gerais: a Poética de Carlos Drummond de Andrade em Cena

Nome: Amanda Guimarães Tito
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 31/07/2019
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Ester Abreu Vieira de Oliveira Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Ester Abreu Vieira de Oliveira Orientador
Jorge Luiz do Nascimento Examinador Interno
Karina de Rezende-Fohringer Suplente Externo
Renata Oliveira Bomfim Examinador Externo
Vitor Cei Santos Suplente Interno

Resumo: Analisa-se a contribuição da poética literária de Carlos Drummond de Andrade para a construção cênica do espetáculo musical Ser Minas Tão Gerais, montado pelo grupo teatral Ponto de Partida. Nessa representação os poemas musicados desse poeta são os condutores da narrativa em cena, nos signos e no ritmo. Como corpus da pesquisa, foram utilizados, além do conteúdo do audiovisual em DVD Ser Minas tão Gerais (comercializado pelo grupo teatral, como produto da gravação de uma apresentação, ocorrida em Juiz de Fora, no ano de 2004), os poemas de Carlos Drummond de Andrade que fizeram parte desse espetáculo e que estão no DVD. Na análise dos poemas, e de algumas canções de Milton Nascimento, presentes em cena, foram vistos aspectos semióticos, e, no DVD, além dos semióticos os dramáticos. Como suporte teórico, utilizaram-se as obras: A leitura transversal, de Richard Demarcy, in Semiologia do teatro, organizada por Guinsburg, Netto e Cardoso (2012); Signos em
rotação, de Octavio Paz (2006); Versos, sons, ritmos, de Norma Goldstein (2008); O local da Cultura, de Homi K. Bhabha (1998); Ponto de Partida um país em cena, de Fernanda Fernandes (2011) e Ensaio sobre a dramaturgia: do clássico ao contemporâneo, de Ester Abreu Vieira de Oliveira (2016).

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910